como tirar o creci

Afinal, como tirar o CRECI? Entenda!

O primeiro passo para quem deseja trabalhar como corretor de imóveis e transmitir confiança, credibilidade e positivismo aos clientes é receber a autorização do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI). Esse documento é a comprovação de que o profissional está trabalhando de acordo com a lei. Por isso, é fundamental saber como tirar o CRECI.

Além de garantir que o corretor de imóveis conheça todas as regras para o exercício da profissão, o órgão também é responsável pela fiscalização das atividades imobiliárias. Desse modo, assegura-se a proteção do consumidor contra transações fraudulentas e, ainda, atesta-se que o profissional tem credibilidade e competência para atendê-lo.

Pensando nisso, criamos este post com um passo a passo para quem deseja ingressar na profissão de corretor de imóveis e que, para isso, precisa entender como tirar o CRECI. Se é esse o seu interesse, então, continue a leitura e saiba tudo sobre o assunto!

O que é e para que serve o CRECI?

CRECI é a sigla para Conselho Regional de Corretores de Imóveis, órgão responsável pela normatização e fiscalização do exercício da profissão, seja de corretores e imobiliárias, dando apoio aos compradores e vendedores, bem como locatários e locadores.

É por meio dele que é emitido o documento, conhecido pela mesma sigla, que autoriza um profissional a trabalhar como corretor de imóveis para negociar compra, venda e aluguel. Tal certificação é regulamentada e exigida pela Lei Federal nº 6.530/1978.

Para se tornar apto a receber o documento, é necessário atender a algumas exigências do Conselho Regional de Corretores de Imóveis, que envolvem desde o curso superior ou técnico até o cumprimento de horas de estágio.

Qual é a importância do CRECI para a profissão?

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis regulamenta a profissão e reconhece somente aqueles que estão, de fato, capacitados para exercê-la. Além disso, ele também assegura que as regras e a legislação sejam aplicadas ao mercado imobiliário estão sendo cumpridas.

Desse modo, ser um corretor credenciado pelo órgão é importante para que você seja reconhecido como profissional da área e, ainda, garante que não haverá concorrência com pessoas não autorizadas e que não conhecem as diretrizes da profissão e do mercado.

Ademais, apenas com a carteira do CRECI o corretor poderá realizar negociações imobiliárias, de maneira que os direitos do consumidor são defendidos e fiscalizados.

Para o cliente, o credenciamento do corretor também é de extrema importância, pois só assim ele terá a certeza de que o profissional está preparado para atendê-lo e que, ainda, terá a quem recorrer caso algo não seja feito de acordo com as regras estabelecidas pelo órgão regulamentador.

Vale lembrar que fazer negócio com “corretores” não registrados no CRECI pode representar um risco tanto para o vendedor quanto para o comprador de um imóvel.

A seguir, você verá com mais detalhes cada uma das etapas que devem ser cumpridas para a aquisição do CRECI. Confira!

Como tirar o CRECI?

Após compreender o que é o CRECI e a sua importância, podemos analisar quais são os passos que o corretor deve fazer para conseguir seu sonhado CRECI. Entenda tudo a seguir.

Faça um curso de corretagem de imóveis

O primeiro passo para que o Conselho Regional de Corretores de Imóveis considere a emissão da autorização de trabalho como corretor é passar pelo curso técnico em transações imobiliárias ou, ainda, o curso superior sequencial, tecnológico em ciências imobiliárias ou gestão de negócios imobiliários.

O CRECI exige que o curso tenha diploma, sendo feito em uma instituição de ensino na sua cidade, seja de modo presencial ou online. É por meio deles que você aprenderá todas as regras para o exercício legal da profissão e, ainda, receberá valiosas lições sobre como lidar com os clientes.

Em regra, a grade curricular conta com legislação imobiliária, gestão de equipes e negócios imobiliários, conceitos básicos de projeto de arquitetura e contabilidade. Assim, se tornará capaz de fechar mais negócios e aprenderá como avaliar e captar imóveis para a sua carteira.

Cumpra as horas de estágio exigidas pelo CRECI

Durante o curso, seja ele presencial ou online, são exigidas algumas horas de estágio no mercado imobiliário. Para cumpri-las, é necessário obter uma autorização do CRECI, conhecida como Registro de Estágio.

Para conseguir esse registro basta acessar o site do órgão no seu estado, preencher, imprimir e assinar o formulário disponível, recolher as taxas informadas e, junto dos demais documentos necessários, protocolar o pedido de registro na delegacia seccional ou sub-regional mais perto de você.

Com o seu Registro de Estágio em mãos, já poderá cumprir as horas de estágio exigidas pelo curso com a orientação dos professores. Verifique junto à instituição de ensino onde está matriculado se o estágio poderá ser cumprido com a ajuda de aplicativos com a supervisão de um corretor autorizado ou se deverá ser feito em uma imobiliária.

Providencie a documentação necessária

Essa é a etapa mais simples e, ao mesmo tempo, burocrática do processo, e por isso, deve ser feita com muita atenção para que nada seja esquecido. Para solicitar o seu CRECI, você precisará reunir os seguintes documentos:

  • documento de identificação, como carteira de identidade ou CNH;
  • cadastro de pessoa física (CPF);
  • certidão de nascimento;
  • certificado de conclusão do ensino médio com histórico escolar;
  • certificado de conclusão do curso técnico ou superior voltado à atuação no mercado imobiliário;
  • registro de estágio assinado por um corretor credenciado.

Solicite o seu registro no órgão

Curso técnico ou superior realizado, horas de estágio cumpridas com a supervisão de um corretor credenciado, documentação completa e separada. Está tudo pronto para o grande momento, que é o da solicitação do seu registro junto ao Conselho Regional de Corretores de Imóveis.

O processo de solicitação do CRECI é praticamente o mesmo realizado para a aquisição do registro de estágio. Ou seja, é necessário acessar o site do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do seu estado, preencher, imprimir e assinar o formulário disponível para a requisição da credencial e, em seguida, protocolar junto dos documentos listados no tópico anterior, em uma delegacia seccional ou sub-regional perto de você.

Mesmo depois de saber como tirar o CRECI, lembre-se também de que, para ter sucesso na profissão, é de extrema importância ficar atento às inovações e tecnologias da área. Além disso, buscar novas alternativas para expandir a sua capacidade de trabalho e ser capaz de oferecer um atendimento diferenciado também é sempre uma boa prática.

Quais são os direitos e deveres do corretor?

O Código Civil Brasileiro (Lei nº 10.406/2002) e o Código de Ética (Resolução-Cofeci n. 326/1992) da categoria apresentam todos os direitos e deveres do corretor. Entre os principais deveres há a obrigação de proteger os direitos que foram confiados, aperfeiçoar a técnica das transações imobiliárias e zelar pelo prestígio da profissão.

Não obstante, deve apresentar ao cliente as informações de riscos e circunstâncias que envolvam o negócio, e recusar todos os serviços que julgar ilegal, imoral ou injusta.

Outra incumbência do corretor diz respeito à comunicação imediata ao cliente sobre qualquer valor ou documento recebido destinado a ele, prestando contas quando concluído o negócio, dando recibo das quantias recebidas e restituindo os papéis que não mais necessitar.

Entretanto, são vedados ao corretor promover intermediação com cobrança de over-price, manter uma sociedade profissional fora das normas legais, aceitar tarefas que não esteja capacitado ou possa prestar fraude.

Além disso, não pode receber comissões em desacordo com a tabela do CRECI ou conquistar vantagens que não corresponda a serviços efetivados e licenciamentos, tampouco se locupletar às custas do cliente, arrecadar serviços com prejuízo, desprestígio da classe ou outro profissional.

Ainda, evite ser desleal com colegas, em especial quanto a concorrência, bem como falar mal dos seus serviços ou roubar clientes. Também, o corretor não deve abandonar as causas que foram confiadas a ele, sem aviso prévio ou motivo justo, nem descumprir as determinações provenientes do Conselho.

Cabe ressaltar que, em caso de descumprimento dessas normas e atos danosos ao cliente, o corretor pode ser penalizado civil e penalmente, desde que tenha agido com imperícia, imprudência e negligência.

Em relação aos benefícios, o corretor passa a ter direito a firmar contrato sobre a relação de prestação de serviço, combinando preços e condições da transação imobiliária, assim como agendar visitas de imóveis com clientes e reunir documentação sobre aquisição, locação, avaliação, venda e financiamento.

O que um estagiário em corretagem pode fazer?

Estagiários são os estudantes de um curso técnico de transações imobiliárias ou de algum curso superior. A condição é provisória e a sua finalidade é preparar o profissional para a prática de corretagem.

Para efetuar as atividades, o estagiário precisa da assistência de um corretor já credenciado. Ele não tem permissão para exercer plenamente sua profissão, pois deve buscar o aprimoramento com a ajuda da prática supervisionada.

Isso significa que ele não pode efetivar nenhuma intermediação de forma direta. O corretor responsável pela supervisão deve emitir um recibo que aprove a intermediação do aprendiz — o nome e a inscrição do supervisor devem estar registrados na carteira de identidade do estagiário.

Quanto custa para tirar o CRECI?

Assim como os demais registros profissionais, é necessário pagar uma taxa de inscrição e de anuidade para mantê-lo ativo. Contudo, o valor varia entre as regiões do país, dependendo do estado em que o corretor se credencia, sendo proporcional no primeiro ano de inscrição. Por isso, vale uma pesquisa antes de se credenciar.

Quanto tempo dura o curso para tirar o CRECI?

Como já falamos, é necessário fazer um curso de especialização na área de corretagem para tirar o CRECI. Existem modalidades diferentes de formação, incluindo desde cursos técnicos a superiores. A duração pode variar entre 10 e 12 meses no caso de ensino técnico enquanto se estende de 2 a 4 anos no ensino superior.

Não importa qual seja o curso que o profissional escolha, a finalidade é deixá-lo preparado para lidar com as complexidades relativas ao ramo imobiliário. Geralmente, as grades curriculares apresentam aulas sobre legislação de imóveis, gerenciamento de equipes e de negócios imobiliários, contabilidade, conceitos fundamentais de projetos arquitetônicos.

O estudante também aprende estratégias de marketing e de venda de imóveis e assimila conhecimentos técnicos para trabalhar com fichas e documentos.

O que acontece se não pagar o CRECI?

Para continuar habilitado a atuar como corretor é preciso manter o pagamento pontual da anuidade ao Conselho Regional. Caso ele não pague o CRECI, poderá receber punição judicial, como ocorre com todas as dívidas, além de se arriscar a perder o registro.

A inadimplência pode fazer com o corretor tenha seu débito inscrito na dívida ativa, que incorre em execução fiscal da Justiça e a eventual penhora de bens ou o bloqueio judicial das movimentações de dinheiro e as movimentações patrimoniais na Justiça.

O não-cumprimento das obrigações perante o CRECI é infração ao inciso X do artigo 20 da Lei nº 6.530/1978 e ao artigo 34 (caput) do Decreto nº 81.871/1978, que obrigam o corretor ao pagamento da anuidade ao CRECI como uma condição para exercer suas atividades. No entanto, é importante saber que a inadimplência do corretor em relação ao CRECI não o impede de receber a remuneração devida pela efetivação de algum negócio (venda, locação).

Quando o corretor de imóveis não atua, o que deve fazer junto ao CRECI?

Como profissional liberal, o corretor imobiliário tem o privilégio de realizar seu trabalho com autonomia, sem precisar estar vinculado a um emprego, o que torna mais difícil (praticamente impossível) para o CRECI identificar se ele está realizando plenamente o seu trabalho.

Quando o corretor de imóveis não está trabalhando em sua profissão, a Resolução-Cofeci nº 327/1992, no artigo 43, garante a suspensão da inscrição, por solicitação do profissional, por um período definido ou mesmo o cancelamento da inscrição.

No caso de suspensão, o CRECI estadual determina o período máximo de suspensão e de prorrogação.

Permite-se que, quando achar conveniente, o corretor solicite a reativação da sua inscrição caso ela tenha sido suspensa. Para isso, uma taxa determinada é cobrada, assim como a anuidade proporcional ao que se resta do exercício em curso.

Se o profissional optar pelo cancelamento da inscrição e, depois, decidir retornar à sua profissão, ele tem o direito de se reinscrever desde que sejam atendidas as exigências do período do novo pedido e que o pagamento da taxa relativa à inscrição e da anuidade proporcional seja quitado.

Ao longo deste post você aprendeu como tirar o CRECI e qual a sua importância para manter a credibilidade de um corretor no mercado imobiliário. Viu ainda que, mesmo depois de certificado pelo órgão, o profissional da área não deve se acomodar e precisa buscar novos conhecimentos para que seja possível melhorar o seu atendimento ao cliente e se manter atualizado sobre o mercado imobiliário.

Gostou dessas informações? Aproveite para conferir outras postagens da nossa empresa. Se você aprecia stories e belas imagens, visite e siga a nossa página no Instagram.

7 thoughts on “Afinal, como tirar o CRECI? Entenda!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.